Josefinas, a marca portuguesa que conquistou Meghan Markle e Gloria Steinem

A Josefinas é uma das marcas portuguesas mais internacionais do país. Fundada em 2013, rapidamente conquistou os EUA, que ainda continua a ser um dos mercados mais importantes para a marca. Entre as clientes mais ilustres da Josefinas estão Meghan Markle, Olivia Palermo e Gloria Steinem.

«O nosso objetivo era criar calçado raso que fosse elegante e confortável. Em 2013, ainda não havia muito a aceitação da utilização de calçado raso para eventos profissionais ou sociais. Nós sentíamos que as mulheres se sentiam obrigada a usar saltos altos, mesmo quando não gostavam assim tanto e se sentiam desconfortáveis», conta Carolina Nelas, diretora de comunicação da Josefinas.

Além do conforto a qualidade é outra das prioridades da Josefinas, que são produzidas por encomenda e com um método artesanal único. «Queremos desenvolver produtos que durem no tempo. A Josefinas é uma marca de slow fashion, a nossa ideia é desenvolver produtos que daqui a 10 anos ainda tenham qualidade, e ainda possam ser encontrados no nosso site», conta.

A qualidade, o design e o conforto conquistaram desde cedo o mercado internacional, que sempre esteve na mira da marca. «Na internacionalização é uma vantagem ser uma marca digital. Nós desde o primeiro dia que trabalhamos essa parte, lançamos o nosso site logo em português e inglês, já a pensar no futuro. A verdade é que no digital não há fronteiras. Por isso, isso do nacional e internacional não se aplica, porque a marca está disponível para qualquer pessoa em qualquer parte do mundo».

Hoje as Josefinas estão presentes em vários países, mas as diferenças culturais não são um aspeto fundamental para o design da marca. « As mulheres são todas muito diferentes, mas se pensarmos bem todas queremos estar confortáveis, todas as mulheres gostam de ter uma peça que possam usar em várias ocasiões. Essas coisas são comuns, não se cingem a um país. O estilo de vida também tende cada vez mais a misturar-se entre as culturas. O importante quando me sento a desenhar é ter estas vertentes: conforto, versatilidade, elegância e intemporalidade», conta Diana Rocha, designer da Josefinas.

Uma das mais recentes novidades da marca prende-se com o facto de a Josefinas ter registado a sua propriedade intelectual em blockchain, isto significa que todas as criações da insígnia estão registadas e têm comprovativo de autenticidade. «Quando a pessoa compra um par de josefinas sabe que aquele desenho é original, e está registado como tal. Em termos legais é muito difícil registar um desenho, um modelo de sabrina. Porque na verdade as sabrinas foram democratizadas e não há uma patente de modelo de sabrinas, mas desta forma nós conseguimos garantir que as nossas coleções antes de saírem já estão registadas como nossas (…) Isto funciona como um comprativo de exclusividade. É muito importante para nós que os nossos clientes saibam que estão comprar algo realmente único. E que o trabalho dos nossos artesãos é valorizado de alguma forma», contam ao Pano Cru.

Também a componente social é muito importante para a marca, aliando uma estratégia que não se baseia na sazonalidade da moda. É de tudo isto que falamos na entrevista que pode ver em cima.

Fotografias DR

Leave a Reply

%d bloggers like this: