Uma reflexão sobre o look de Kim Kardashian

Photo: Facebook Kim Kardashian West

Aqui fica a minha reflexão sobre o look da Kim Kardashian na Met Gala. A opinião foi publicada no editorial da newsletter Nº7 e teve tantas reações que achei por bem deixá-la também no site.

«Gostava de partilhar consigo uma pequena reflexão sobre a Met Gala, mais concretamente sobre a escolha de Kim Kardashian. Kim surgiu em Balenciaga, toda tapada de preto, com a cara, corpo, pernas e mãos cobertas. Esta escolha segue a estética que adotou para promover o novo álbum de Kanye West, e foi essa a intenção da roupa, sem qualquer conotação política explicita. Kim diz que o look foi inspirado na invenção da t-shirt.  Apesar disso, o que é facto é que impossível olhar para a roupa de Kim Kardashian sem nos lembrarmos das imagens recentes do Afeganistão, onde as mulheres foram obrigadas a voltar a cobrir os seus corpos integralmente. A Met Gala teve como dress code «American Independence» e aconteceu duas semanas depois da retirada dos EUA do Afeganistão. Para mim torna-se impossível não relacionar os factos, e não ver a escolha de Kim Kardashian como uma péssima opção.  A única justificação para se apresentar assim seria tomar uma posição política sobre tema, mas não foi esse o caso (até à redação deste editorial Kim não conferia qualquer teor político à roupa usada).

Quando se tem uma exposição mediática, como a que esta influenciadora e empresária tem, é preciso pensar na mensagem que se passa, mesmo nas mensagens que não são intencionais. Vestir-se de negro da ponta do cabelo à unha do pé, sem por uma vez se lembrar das mulheres afegãs que com a chegada dos talibã ao poder viram os seus direitos dizimados – sendo o espelho mais visível dessa realidade a forma como são obrigadas a vestir-se – é grave. A roupa passa sempre uma mensagem e nunca pode ser retirada do seu contexto social e político, sobretudo quando estamos a falar do evento de moda mais famoso do mundo.

Aqui fica uma parte do que uma mulher coberta da cabeça aos pés representa no Afeganistão:

– As mulheres não podem sair de casa sem estarem acompanhadas pelo marido ou um parente, homem.
– Não podem ser observadas por um médico homem, e muitas morrem sem assistência médica por isso. 
– As mulheres acusadas de adultério são apedrejadas.
– Não podem ir à janela ou à varanda de casa para não serem vistas sem estar cobertas. 
– As mulheres não podem andar de bicicleta ou de mota e praticar desporto.
– As mulheres deixaram de aparecer na televisão e todos os cartazes e publicidade com mulheres foram retirados das ruas e lojas.
– As aulas na universidade passaram a ser segregadas por sexo.  
– Existem muitas restrições no trabalho e na educação para mulheres.»

Leave a Reply

%d bloggers like this: